quinta-feira, 29 de março de 2018

ARCÁDIA: DRAGEIAS DE LICOR BONJOUR


Tudo começa em 1933, numa viagem de Manuel Pereira Bastos – avô dos actuais administradores da Arcádia – a Paris. Manuel Pereira Bastos descobre as drageias de licor bonjour, traz o produto para Portugal e começa, nesse ano, a fabricá-las. São, até hoje, as drageias, demais amêndoas e chocolates, o core da marca. Desde 1933.
As amêndoas fabricadas pela Arcádia são ainda produzidas de forma artesanal, exactamente como em 1933. Feitas em tachos de cobre e a partir de processos manuais, a decoração e fabrico d’as drageias de licor, um dos artigos mais icónicos da marca, demora cerca de dois meses a ser completado. São 30 a 40 referências diferentes de drageias de licor, decoradas com vários formatos e aromatizadas com licores de frutas.
Actualmente a marca tem diversificado a oferta mas o core e o que a diferencia são, mesmo, as drageias. A Arcádia é a única empresa que faz as drageias de licor com estas características e com este processo de pintura, o que resulta em sabores e formas sem igual. No processo artesanal está a diferença. Anualmente, são 50 toneladas: a Arcádia fabrica 20 toneladas de drageias de licor e cerca de 30 toneladas de amêndoas. 



Na Rua do Almada –  nº 63, Porto –, está a loja mais antiga da Arcádia. “Não a primeira, mas a mais antiga”. A marca já tem lojas em todo o país – Guimarães, Braga, Aveiro, Viseu e Coimbra, Grande Porto, Grande Lisboa [Cascais e Estoril] e, agora, no Algarve – mas esta loja continua a ter um significado icónico.
A Arcádia é uma marca nacional. Amêndoas de chocolate negro e de chocolate de leite, amêndoas de canela e de cacau, amêndoas caramelizadas – são viciantes – amêndoas de baunilha e torradas… E, claro!, na Páscoa, não pode faltar o chocolate. A Arcádia fabrica ovos – existem em três tamanhos e são de chocolate negro – e a família de coelhos.
Este ano, a novidade são os saquinhos de renda recheados com drageias de licor no seu interior.

Sem comentários:

Publicar um comentário